Como vocês já viram aqui, estou impregnada de vida (como disse Fernanda Lima ao anunciar a sua gestação)! Grá-vi-da. E isso é mágico. E cheio de descobertas! Coisas, inclusive, a serem divididas com outras mães, outras grávidas!

diario gravidez

PS: Como é que demorei tanto tempo pra começar um blog? Na gravidez de Léo, passei batido, só lendo muito mesmo… E nem imaginava como seria bacana trocar experiências com outras mães, compartilhar. Agora, prometo, farei diferente. Já tenho o blog. E, agora, estou na segunda gestação. Ou seja, muita coisa pra contar e um lugar já prontinho pra fazer isso!

Claro, não quero e nem posso ficar monotemática – tenho outro filho maior e um monte de assuntos que adoro além da fase ‘gestação’. Sem delongas, vamos combinar o seguinte: vou fazer um “diário de grávida”! Ou seja, escrever sobre o que sinto, penso e passo nesses 9 meses – e tudo isso vai ficar arquivado aí no menu, na categoria Gravidez / Gestante, e sempre com o parênteses aí de cima. Assim fica fácil achar, e as gravidinhas vão poder dividir comigo de tudo um pouco. E quem não estiver grávida, não vai ficar ‘esbarrando’ nos textos o tempo todo. Não vou escrever diariamente (pra não ficar enjoativo), mas semanalmente, que tal? Ou posso unir duas ou três semanas em um post só, se for o caso. Mas que tá combinado tá!

Pra começar, quero falar sobre as minhas primeiras e imediatas impressões sobre a segunda gestação. Fechando o segundo mês, lá vão elas:

1 – A segunda gravidez não surpreende muita gente. Pelo menos não quando todos sabem que você queria um segundinho! Então nem espere aquela cara de “jura?”, e sim algo mais parecido com: “eu já sabia!”, “você tava com cara de grávida!”, “que bacana!”, “como convenceu seu marido?”.

2 – Eu definitivamente constatei que não sou do tipo que “sente” que tá grávida. Aliás, faço sempre o contrário. Quando eu acho que estou, vou lá, compro o teste e vejo o negativo. E quando acho que é pura TPM, que os sintomas são apenas de um ciclo não muito regulado, pimba! Positivo! Isso aconteceu na primeira, e de novo dessa vez. Com você pode ser diferente, mas no meu caso acho que fui homem na maior parte das outras encarnações.

3 – Uma gravidez pode ser bem diferente da outra. Todas as mulheres com as quais conversei me relataram isso! E agora, eu sinto isso. Na do Léo, eu tive muita cólica, pouco enjôo e azia o tempo todo. O sono chegou depois do primeiro trismestre acho. Na do irmãozinho ou irmãzinha, olha só: muito enjôo, mal estar constante (principalmente ao viajar de carro), sensação de cansaço, sono (muito sono!), dores de cabeça, nada de cólica (ou algo bem perto de nada).

4 – A barriga cresce mais,  e mais rápido. Você se “expande” para os lados num passe de mágica! Com 5 semanas, as roupas começaram a não fechar. Com 6 semanas, perdi todas as calças e bermudas e nem vestido fechava mais. Com menos de dois meses, já passei a usar roupa de grávida….kkk

5 – Realmente ver o filho mais velho beijar a sua barriga não tem preço. É maravilhoso, doce, pleno. Eu não poderia passar por essa vida sem ter filho. E também não poderia passar por ela sem ter a chance de vê-lo acariciar o bebê que vem vindo completar a família.

Por hoje, é só! E por aí, quais foram ou são suas impressões sobre a primeira, segunda, terceira gestação?