Como funciona auxilio maternidade

Algumas situações podem levar o funcionário a ficar impossibilitado temporariamente de exercer suas funções na empresa. Essa incapacidade pode estar relacionada a motivos de doença ou acidente. Nesse caso, existe um período de afastamento para o trabalho. Você sabe como funciona? Leia o texto a seguir e entenda:

Qual o órgão responsável pelo benefício?

Existem diversos direitos que ficam disponíveis para o trabalhador da CLT em algumas situações. O afastamento do trabalho é um deles e exige restrições específicas para seu pagamento.

O órgão responsável pelo recurso é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), também utilizado para solicitar benefícios como a aposentadoria.

O INSS garante que, ao se enquadrar nos requisitos do afastamento do trabalho, o funcionário receba um auxílio financeiro durante todo esse período.

Como funciona o afastamento do trabalho?

Quando o funcionário, por  intermédio de doença ou acidente, precisa ficar afastado de seu serviço, a empresa é obrigada a cumprir com o seu pagamento mensal normalmente. Isto claro, se o mesmo estiver afastado por um período de 15 dia.

Quando excede esse período mínimo, é preciso solicitar o afastamento do trabalho junto ao INSS, sendo necessário acionar outro tipo de benefício.

O pagamento INSSé proporcionado após comprovação de sua impossibilidade e para isso, o funcionário deve agendar a sua perícia do INSS. Este agendamento é fundamental para determinar o recebimento do auxílio, assim como o tempo a ser recebido.

O que é a perícia do INSS?

A perícia do INSS é a única maneira de comprovar a real necessidade de receber pelo seu afastamento do trabalho. E vale mencionar que quanto antes você solicitar, antes você pode passar pela checagem e receber o seu auxílio.

O beneficiário pode solicitar o agendamento de sua perícia médica através da internet, ou ligando para o telefone 135. Esse será o momento de selecionar data e local.

A perícia possui um procedimento simples, mas é muito importante estar atento aos detalhes. Quem precisa solicitar o afastamento do trabalho, não pode deixar de conferir .

Quem pode solicitar?

Como foi mencionado acima, o primeiro requisito para solicitar o seu auxílio é estar afastado da empresa por um período superior a 15 dias.

Outro ponto interessante é o tempo de contribuição. Tem direito ao benefício, os contribuintes que participaram por no mínimo 12 meses. Ou seja, que possuem um ano de carteira assinada.

Para as doenças consideradas de teor grave, pode ser que haja a possibilidade de solicitar o afastamento do trabalho antes do período de 12 meses.


Dores durante a relação sexual depois do resguardo

Dores durante a relação sexual depois do resguardo

Se existe algo extremamente ruim nas nossas vidas, isso seria as dores durante a relação sexual. Um fato que pode acabar completamente com um momento épico de sexo com o seu amor.

Nesse conteúdo, queremos abordar alguns temas bastante interessante sobre o assunto, e também, te ajudar da melhor forma possível a eliminar as dores que surgem durante a relação sexual. Nesse conteúdo você encontrará:

1. Como eliminar a dor durante a relação no pé da barriga.
2. Como as dores na bexiga durante a relação.
3. Como eliminar a dor nos ovários durante a relação.

Bom – Sem mais demoras, vamos ao conteúdo para poder eliminar por completo as dores durante a relação sexual.

Dor durante a relação no pé da barriga

Antes de achar a solução, primeiro é necessário achar a causa, e aqui quero listar 4 sintomas ou doenças que podem estar provocando em você a dor durante a relação no pé da barriga:

1. Clamídia

A clamídia afeta pessoas de todas as idades, porém é mais comum em mulheres jovens. Muitas mulheres com clamídia, mesmo sem apresentar sintomas, podem infectar outros indivíduos por contato sexual. Os principais sintomas incluem dor genital e secreção pela vagina.

2. Endometriose

É um distúrbio onde o tecido que normalmente reveste o útero cresce fora do útero. Na endometriose, o tecido pode estar presente nos ovários, nas tubas uterinas ou no intestino. Os sintomas mais comuns são dores e também irregularidades menstruais. Aqui – a mesma pode provocar alguma dor durante a relação no pé da barriga.

3. Adenomiose

Condição em que o tecido endometrial cresce na parede uterina.

A adenomiose ocorre com mais frequência no final do período fértil e, normalmente, desaparece após a menopausa. Às vezes, a mesma pode causar sangramento menstrual intenso ou prolongado, cólicas fortes, dor durante a relação sexual ou coágulos sanguíneos durante a menstruação.

4. Inflamação muscular

A inflamação muscular intra vaginal, também provoca dor durante a relação no pé da barriga. Na maioria dos casos ocorre devido a rotina pesada de sexo, ou de exercícios intra vaginais bastante intensos.

O corpo, por natureza necessita de descanso, e nesse caso aqui, ir com muita sede ao pote, pode acabar por ser prejudicial em vez de ser benéfico.

Diante dos fatores: Clamídia, Endometriose, Adenomiose e Inflamação muscular – Procurar um especialista para fazer alguns exames e também tratamentos é mais do que indicado. Assim você elimina por completo as suas dores durante a relação sexual situadas no pé da barriga.

Dores na bexiga durante a relação

Assim como já mencionado, antes de achar a solução para dores na bexiga durante a relação sexual, é necessário primeiro achar a causa dessas dores. E aqui, quero listar 2 doenças que podem estar causando essas dores.

1. A síndrome da bexiga dolorosa

A síndrome da bexiga dolorosa é uma doença crônica bastante dolorosa que afeta a bexiga. E os sintomas que essa doença normalmente causam são:

  • Dores na bexiga
  • Dor ao urinar
  • Dor pélvica

Esses sintomas podem desencadear dores na bexiga durante a relação sexual.

2. Infecção urinária

A infecção urinária é causada por alguma infecção no sistema urinário como: Nos rins, bexiga ou uretra. Seus principais sintomas são:

  • Dor na barriga
  • Dor ao urinar
  • Vontade contante de urinar

Devido a esse sistema serem interligados, uma infecção nos rins ou uretra, pode sim, tornar a bexiga mais sensível, e sim, essa sensibilidade causa dores na bexiga durante a relação sexual.

Diante desses fatores: Procurar um especialista para fazer alguns exames e também tratamentos é mais do que indicado. Assim você elimina totalmente as suas dores durante a relação sexual situadas na bexiga.

Dor nos ovários durante a relação

A dor nos ovários durante a relação sexual normalmente é causada por 1 tipo de doenças bastante conhecida.

Tomar esse conhecimento, pode te ajudar e muito até mesmo na questão de fazer um tratamento para poder curá-las ou controlá-las.

Cisto de ovários

É uma bolsa sólida ou cheia de líquidos situada na superfície de um ovário ou dentro dele. Seus principais sintomas são:

  • Dor na relação sexual
  • Dor lombar
  • Dor abdominal

E é claro, isso pode causar dor nos ovários durante a relação sexual. Tanto dores leves, como, dores mais intensas.

Diante desses fator: Procurar um especialista para fazer alguns exames e também um tratamento é mais do que indicado. Assim você elimina totalmente as suas dores durante a relação sexual situada nos ovários.

Elimine por completo as dores durante a relação sexual

Como já mencionado anteriormente: “Se existe algo extremamente ruim nas nossas vidas, isso seria as dores durante a relação sexual. Um fato que pode acabar completamente com um momento épico de sexo com o nosso parceiro.

E quando o assunto é saúde intima, toda seriedade se aplica aqui. Até porque, sem saúde íntima, ninguém consegue ter uma vida sexual saudável. E é aqui que se aplica o pompoarismo.

Com o pompoarismo, você consegue tomar melhores conhecimentos sobre as dores que são causadas durante a relação sexual e também como tratá-las. Tanto com a ajuda de especialista como também de forma natural usando o pompoarismo.

Isso é muito interessante não é mesmo? Se você é uma mulher que deseja se aprofundar nesse assunto, conhecer os benefícios e também o pompoarismo de forma mais abrangente para conquistar uma melhor saúde íntima

Gostou desse conteúdo onde falamos sobre as dores durante a relação sexual? Então compartilhe com uma amiga usando a sua rede social favorita logo abaixo. Dessa forma, você ajudará sua amiga a solucionar esse problema caso tenha, ou, a ajudará a se prevenir melhor.


Dicas para o relacionamento não cair na rotina

Todas nós sabemos que o começo de um relacionamento é sempre cheio de novidades, isso porque estamos conhecendo melhor um ao outro e talvez por isso nossa adrenalina vai a mil, queremos estar sempre juntos, conhecer melhor um ao outro, fazer viagens juntos, enfim, é uma fase de descobertas e claro muito amor.

Mas com o passar dos anos não tem jeito e a maioria dos relacionamentos caem na rotina, e infelizmente em muitos casos o casal se separa porque aquele relacionamento caiu na monotonia e convenhamos ninguém gosta de viver uma vida parada, sem nenhuma novidade, por isso hoje vamos dar algumas dicas de como não deixar que um amor tão bonito e verdadeiro acabe desse jeito.

Pare de planejar tudo, se preocupe menos e deixe que a vida do casal flua naturalmente, afinal, a vida já nos dá muitas responsabilidades, então não deixe que isso pese no relacionamento de vocês, se preocupem menos e curtam mais a vida do casal juntos.

Frequentem novos ambientes, é sempre bom sair da rotina, experimentar novas vivências juntos, conheçam novos restaurantes, façam passeios em parques, vão ao cinema, aproveitem os finais de semana e feriados para fazerem viagens curtas, como passar uns dias num hotel fazenda para relaxarem ou conhecer cidades com ambiente propício para passeios românticos.

E nunca deixem o romantismo de lado, é preciso demonstrar ao seu parceiro o quanto ele é importante para você, isso faz bem para a auto estima do casal, deixe bilhetinhos dizendo que o ama, faça elogios ou prepare surpresas românticas como um jantar a luz de velas, isso deixará a relação de vocês ainda mais apaixonante.

E por último, mas não menos importante, respeitem o espaço um do outro, afinal, vocês precisam manter um ciclo de amizade com outras pessoas, assim vocês nunca se sentirão sufocados.


Calça jens larga

Calça Jeans depois da gravidez

Depois de gravidez a Calça Jeans é uma aliada , aquela peça do vestuário que vamos encontrar no guarda-roupa de todos os homens e mulheres que conhecemos.

Até hoje impressiona que, depois de tantas inovações e mudanças de rumos da moda, o Jeans ainda seja imbatível na popularidade ao redor do mundo. Qual celebridade nunca foi flagrada nas ruas ou eventos com uma bela calça jeans?

Apesar de ser, sem dúvida, a roupa mais democrática da moda, pois pode ser usada por mulheres e homens de todas as idades, classes e tipos físicos, o jeans também impõe algumas regras – muito simples, é verdade – e exige alguns cuidados.

Por isso, existem hoje em dia uma série de modelagens para atender mais a diversidade de estilos e objetivos das pessoas. Afinal, o jeans é universal demais para ficar restrito a uns poucos bilhões!

A calça jeans é para todas, basta vestir aquela que te deixa segura e feliz!

Jeans Flare

É aquela modelagem justa da cintura até o joelho e então ela alarga , ficando com a boca mais ampla. Ela veste bem em mulheres de todos os corpos e ajuda a equilibrar a silhueta, especialmente as mulheres com quadris largos, porque a parte inferior maior combina com a parte superior.

É um modelo muito bonito mas requer um cuidado pata começar a usar. A grande questão é a bainha; ela deve ser montada pensando na altura do sapato que será usado. Se você quer usar a calça jeans Flare com salto alto, a bainha deve vir até o chão (sem excessos) para alongar ainda mais a silhueta.

Se for usar com sapatos de salto baixo ou sem, a bainha deve ter a altura que usamos nos demais tipos de calça tradicionais, para que o resultado também alongue a silhueta.

Jeans Skinny

Este é o modelo preferido e mais vendido para as brasileiras, o que não surpreende, por se tratar de um jeans que marca o corpo.

Ela destaca as curvas e formas do corpo, dando mais volume a coxas grossas e quadris largos, o que não favorece as mulheres com este biotipo. Uma opção é usar jeans mais escuros e com cintura alta. Já as mulheres magras e as baixinhas podem usar à vontade, porque esta calça alonga a silhueta.

Jeans Reto

É a modelagem que se situa entre a skinny e a flare, e fica bem em todos os tipos físicos.

Ela é mais formal e por isso recomendada para usar no ambiente de trabalho, rotineiramente ou nos casual day de empresas que exigem trajes mais sociais. É uma ótima opção para as mulheres plus size, porque equilibra a silhueta e tira a concentração dos quadris largos.

Jeans Pantalona

Outro modelo que pode ser usado com muita elegância por mulheres de todos os tipos físicos, por causa da sua modelagem ampla.

E também podemos usa-la em eventos sociais, combinando com diversos tipos de blusa.

Jeans Clochard

Esta calça jeans é aquele modelo de cintura alta, com elástico na cintura que afunila mas pernas e cria mais volume nos quadris, portanto mais indicado para as mulheres mais magras ou com quadril pequeno.

Jeans Pantacourt

É um modelo que tem atraído de mais mulheres a cada dia. Confortável e mais solto, a principalmente característica é terminar no meio da canela.

Pode ser vestido por mulheres de todos os tipos físicos, principalmente com saltos alto e médio.

Se você é plus size, pode abusar dos jeans plus size feminino sem medo de errar.


Aborto Tudo que você precisa saber

Este é um tema que envolve questões ligadas à ética, religião, direitos, valores … Enfim um tema polêmico e que está presente em todas os debates sobre sexualidade, saúde sexual e direitos reprodutivos. Na maioria das vezes, as discussões são realizadas de forma polarizada, com visões extremadas, sem levar em conta as intermediações necessárias para o melhor entendimento e compreensão desta questão.

O que é aborto

É papel dos/as educadores/as ampliar ao máximo esta discussão, trazer a pluralidade de opiniões e de situações, para que o tema não seja abordado de forma a reduzir a discussão no julgamento ou na posição de “contra” ou “a favor”. Esta é uma armadilha que devemos evitar. Nesse sentido, expomos aqui diversas informações e sugerimos algumas atividades que possam contribuir no planejamento dos debates sobre esse tema, que é frequentemente solicitado pelos adolescentes.

O que é o aborto?

Aborto é a interrupção da gravidez, e pode ocorrer de forma espontânea ou provocada. Aborto é uma questão de saúde pública e direitos reprodutivos. Quando falamos em cidadania, estamos falando de um conceito que ganhou, nestas últimas décadas, uma ampliação e abrangência para além dos direitos civis e políticos e dos deveres estabelecidos pela Constituição. Aos indicadores tradicionais da cidadania – liberdade de expressão, de organização e filiação partidária e o direito a votar e ser votado- somam-se o direito à educação, à saúde, à moradia, ao lazer, ao meio ambiente saudável, à informação e à igualdade sem discriminações de sexo, raça/etnia e de orientação sexual. Mais recentemente, outro indicador que se incorpora no conceito de cidadania é o reconhecimento dos direitos reprodutivos e do acesso a saúde reprodutiva. Essa conquista se expressa já na Conferência Mundial sobre os Direitos Humanos – Viena/1993 -, que reconhece que os direitos humanos da mulher , em todas as fases de sua vida, são inalienáveis; portanto, constituem parte integrante e indivisível dos direitos universais. Na Plataforma de Ação Mundial, elaborada na IV Conferência Mundial da Mulher – Beijing /1995 – o capítulo dedicado à saúde da mulher traz novos avanços:

• recomenda a todos os países a revisão das leis punitivas em relação à realização de abortos ilegais, e reconhece o aborto como uma questão de saúde pública.

Estas conquistas asseguram a função reprodutiva como um direito e não como função obrigatória ou mesmo como “destino” para as mulheres. Mesmo que os compromisso assinado pelos países presentes na Conferência Mundial da Mulher, inclusive o Brasil, ainda permaneçam mais no papel do que na prática, eles servem como parâmetros para decisões dos governos na área de saúde sexual e reprodutiva e, sem dúvida, representam a luta do movimento de mulheres e do movimento feminista, que sempre pautou a questão dos direitos reprodutivos, da autonomia das mulheres sobre seu corpo e da importância de políticas públicas voltadas para as mulheres na área da saúde, educação e demais setores.

aborto na adolecencia

E no Brasil, qual é a situação sobre o aborto?

Desde 1940, o Brasil, através do Código Penal, autoriza a interrupção da gravidez quando a mulher corre risco de vida, e em casos de estupro e violência sexual. Mas, mesmo nestes casos, ainda é insuficiente o atendimento. Nos setores públicos de saúde, são raros os hospitais que oferecem serviços para realizar o aborto legal. Para sanar esta deficiência no atendimento, o Ministério da Saúde, em 1999, assume uma postura mais ofensiva, e divulga uma portaria indicando que todos os hospitais públicos realizem esse atendimento. Segundo o Ministério da Saúde, o aborto é a quarta causa de mortalidade materna no país. São realizados aproximadamente 2 milhões e 400 mil abortos clandestinos, na sua grande maioria em locais sem as mínimas condições de higiene e segurança para a mulher, e que têm como conseqüência riscos à sua saúde – e, muitos casos, resultam em morte. O maior índice de mortalidade em decorrência do aborto realizado nestas condições se encontra nas mulheres pobres, uma vez que as mulheres ricas têm acesso a clinicas com condições adequadas de atendimento, mesmo que seja clandestino.

Estima-se que 10% dos abortos praticados no mundo sejam feitos por adolescentes entre 15 e 19 anos. Os dados do Brasil, de 1996, estimam 250 mil abortos em jovens menores de 19 anos. No Congresso Nacional, atualmente, existem 8 projetos de lei que tratam deste tema, indo desde a possibilidade da mulher decidir pela interrupção da gravidez como uma escolha sua até o caso de interrupção devido a mal formação do feto. No pré-projeto para a revisão da Parte Especial do Código Penal, foram consideradas como indicações de aborto legal: o aborto voluntário, por razões médicas, econômicas, sociais, familiares ou psicológicas; o aborto terapêutico; o aborto ético e o aborto em razão de malformações graves e irreversíveis do feto.

Um dos argumentos mais aceitos a favor da legalização do aborto no Brasil é que se trata de uma questão de saúde pública e um direito da mulher. A legalização do aborto não obriga a pessoa a realizá-lo, se isso contraria seus valores morais ou religiosos. As religiões existentes no Brasil assumem posições que vão desde a proibição terminante do aborto à sua aceitação. Discutir o aborto não é fácil! Para discutir este tema, deve-se levar em conta que, em nossa cultura, existem diferentes posicionamentos: desde pessoas e instituições que acreditam que o aborto é moralmente errado, até aquelas que entendem que a mulher tem o direito de escolha se quer ou não interromper a gravidez. O tema nvolve convicções, debate sobre autonomia, valores, preconceitos e entendimento das questões das mulheres. Aborto não é um método contraceptivo. Por isso, sempre que se fala em atendimento à saúde da mulher e direitos reprodutivos, fala-se do atendimento na rede pública que permita a mulheres e homens o atendimento integral em todas as fases de suas vidas, o acesso a todos os métodos contraceptivos e a interrupção da gravidez em condições adequadas e seguras.

O que fazer quando uma jovem é descoberta abortando no banheiro da escola?

Existem drogas, que foram comercializados inicialmente na forma de comprimidos para tratamento de úlcera de estômago e são usadas em hospitais para a indução de parto. São também usados ilicitamente para povocar aborto. Se a jovem provoca um aborto por qualquer meio, deve ser encaminhada a um hospital ou maternidade imediatamente, pois a hemorragia, nestes casos, pode ser intensa, e também porque pode haver risco de infecção. Sempre que uma garota provocar um aborto, deve receber apoio e aconselhamento para o uso de contraceptivos, pois é uma experiência traumática e arriscada, que não deve ser repetida.

O aborto não é um método contraceptivo. O melhor meio de prevenção da gravidez não planejada e do aborto entre os jovens é o diálogo aberto sobre a sexualidade, o prazer e a responsabilidade que deve acompanhar qualquer usufruto de prazer e informação clara e objetiva sobre os modos de evitar gravidez.


Pintura na madeira pronta

Como pintar móveis de madeira em casa?

Como pintar móveis de madeira em casa? A pergunta martelou na minha cabeça por meses até eu tomar coragem de colocar a mão na massa, sem auxílio profissional. Por quê? A razão por ela ter martelado na minha mente é o fato de que sempre me achei atrapalhada para artes manuais! Já o motivo de querer fazer tudo sozinha dessa vez se explica de diversas formas: não aguentava mais a cara de um aparador antigo que veio da minha sogra (você vai ver que sem graça ele estava!), não tinha grana pra pagar o serviço de repaginação, queria provar pra mim que conseguiria e, o mais curioso, eu estava grávida! Pois é, o início da gravidez (primeiros dias mesmo!) me deixou muito criativa – fértil, pra usar a palavra mais correta!
  pintar móveis de madeira
Se tem uma coisa que a maternidade fez (desde a gravidez do Léo) foi mostrar que posso me surpreender comigo mesma. Hoje vejo que consigo fazer coisas que antes achava que não poderia, que gosto de coisas que achava que não gostava e que levo jeito pra muita coisa que nem sabia! Então, como fiz com meus vasos-galochas e com as tags de aniversário do Mickey, aqui vai meu passo a passo “faça você mesma”, sobre o aparador reformado da foto! Pra encorajar mulheres que, assim como eu, não sabem por onde começar, ou até mesmo se têm aptidão pra coisa!
Acredite, todo mundo pode se surpreender! Papel e caneta na mão, e inspire-se! Você vai precisar de:
  • Lixa: ela vai ser sua melhor amiga – e aquela que vai te deixar mais cansada. Se tiver uma lixadeira ou uma amiga que tenha e te ensine a usar, ok. Mas se for na mão, como eu, compre uma mais grossinha. Eu usei a número 100, específica pra madeira.
  • Paninho úmido e seco: para limpar o móvel entre as demãos de tinta.
  • Primer: é como na maquiagem, e serve pra dar uma base para a pintura. O nome correto e conhecido nas lojas especializadas é Fundo Preparador para Metais e Madeira (de preferência, escolha da mesma marca que escolher a tinta).
  • Esmalte sintético à base de água: você pode escolher entre fosco ou brilhante, e eu fiquei com a segunda opção – acho mais bonito!
  • Verniz protetor para madeira em spray: pra proteger o resultado final!
  • Kit pintura: pode ser aquela bandeja que vem com dois rolinhas, pincel e tal. Só que aí o rolinha é de espuma, e eu preferi o de lã (você vai saber porquê). Na dúvida, tenha os dois tipos e dois tamanhos de pincel também.
  • Lençol velho e jornal: para forrar sua varanda, quintal, etc. Achei mais prático colocar o jornal embaixo e um lençol em cima.

E agora? Bom, fucei na Internet até achar orientações em que eu confiasse. Você pode fazer o mesmo! O meu é baseado em um blog que amo (fonte lá embaixo) e na minha experiência com o aparador ok? Agora, vamos ver como foi:

Lixe até o verniz sair e nada brilhar
Moveis antes da restauração
A recomendação é não ter pressa, mas quem consegue?  Se for preciso, pode dividir essa etapa em 2, 3 dias, mas quis fazer tudo em uma tarde. O importante é lixar até o verniz sair da superfície, pra reduzir o risco de a tinta descascar. Quanto mais lixado e poroso, melhor. Pra tirar a dúvida, veja se a superfície ainda reflete a luz.
Lixar móveis de madeira

Ufa! Agora é a hora de passar paninho úmido pra tirar todo o pó e esperar secar por meia hora. Depois do móvel seco, primer. Só que, dessa vez, esperei o outro dia. Minha dica; divida as etapas por dia. Em menos de uma semana, tudo estará pronto e você vai fazer cada uma com muito prazer.

Para passar o primer, pode usar pincel de dois tamanhos, para facilitar em locais maiores e menores (detalhe na foto).

Primeira mão pintar móveis de madeira

E, antes de pintar, o ideal é voltar a lixar todo o móvel de leve. É cansativo, mas ajuda a tirar as marcas de pincel e deixar o móvel bem lisinho para receber a tinta.

primeira mão fundo

Meu erro aqui (acho) foi ter passado uma demão apenas de primer. Não sei por qual razão achei que era suficiente. Mas a verdade é que, por causa disso, tive que passar muitas demãos de tinta (5) pra cobrir o fundo, repare.  E o acabamento não ficou exatamente como deveria. Acho que vale passar umas 3 de primer, até cobrir a cor escura do móvel.

…Mais um dia secando, e lá fui eu abrindo a tinta amarela! Queria porque queria essa cor!

Para a pintura, usei primeiro um rolinho de espuma e o mesmo pincel usado pra passar o primer (mas só para os detalhes mais chatinhos). Diluí um pouco a tinta (1/3 de água é o recomendado). Fiz no olho e em menor diluição (admito!) e, nas últimas, simplesmente deixei de lado a porção de água!  Pra mim, foi melhor quando estava menos diluído. O problema que surgiu no meio do caminho: bolinhas!

bolhas na restauração

Fui pesquisar a razão. Cada um diz uma coisa. Uns me recomendaram trocar o rolinha pelo de lã, e eu fiz isso. Ainda assim, não ficava tudo lisinho. Aí vi que outra alternativa (mais trabalhosa) é passar o rolo de lã com tinta e em seguida outro de lã sem tinta (pra tirar o excesso). Foi o melhor pra mim! Antes de pintar de novo, claro, lixei né? Assim o defeito ficou menos aparente e mais fácil de cobrir.

Acho que o fato de passar muitas demãos pode ter colaborado para formar bolinhas, mas há quem diga que é a espessura da tinta e não quantidade de demãos. Vou precisar fazer em outro móvel pra te responder… Detalhe que aprendi: o rolinho só deve ser passado poucas vezes sobre a mesma área, somente enquanto a tinta estiver molhada. Depois ela começar a secar e se você voltar a passar o rolinho, a tinta pode ficar com um aspecto granulado.

Outro conselho? Comece com a tinta pela pare mais difícil e menos aparente! Pra ir testando (e errando se for o caso!) onde aparece menos. Com exceção da aplicação do primer, virei o móvel de ponta cabeça, e dei todas as demãos nele assim. Só depois pintei o tampo.

primeira mão da da restauração

Enquanto a tinta seca, é importante reparar se nenhuma parte vai escorrer! Se isso acontece, basta usar o rolo com leveza para alisar.  Lembrando que esperava 24 horas pra pintar novamente!

No final, passei 3 camadas de Verniz Brilhante em Spray, específico pra proteger a pintura. Não gostei muito de aplicar, porque, como não tem cor, fica complicado ver onde caiu a nuvem de verniz. Da próxima vou tentar com pincel mesmo!

Ficou perfeito? Não. Mas honestamente ficou ótimo! Fez uma super diferença na minha sala, todo mundo que entra repara, realizei meu desejo de ter um móvel amarelo, provei que sou capaz, e gastei muito pouco pra promover essa mudança!

Olha o aparador pronto!!!

restauração pronta pes

Abaixo, fotografei a falha no acabamento que comentei lá no início: a pintura ficou meio craquelada. Mas nada que as pessoas reparem. Só quando passa a mão mesmo!

E agora ele no seu devido lugar! Na entrada de casa…

Pintura na madeira pronta
TINTA: esmalte sintético à base d’água Sherwin Willians – Cor: Citrus

Como adoro o programa Decora (GNT), apostei nas dicas do blog Casa de Colorir, da Talita (que tem um quadro no mesmo programa). Para conferir na íntegra, basta procurar no google.