Archives janeiro 2019

30 coisas que desejo que você faça na vida (lembrança de aniversário)

Esse post já era pra ter sido publicado há tempos! Porque quando escrevi sobre minha festa de aniversário de 30 anos, o texto se tornou um dos mais acessados do blog – e muita gente passou a me pedir que eu enviasse a mensagem que fazia parte da lembrancinha dos adultos! Explico: bolei um texto que enumerava 30 coisas bacanas que eu desejava aos convidados. Minha cunhada fez a montagem com uma foto minha de fundo, e eu imprimi na gráfica – simples assim.

Olha só como ficou:

Não esperava que essa ideia de lembrança fosse fazer tanto sucesso!!! Além de todos que me pedem a mensagem pelo blog, garanto: todos os convidados amaram!!! Só que, como é muita gente pedindo, não consigo enviar por email de forma rápida…

Então, pra quem quiser se inspirar ou copiar (fico lisonjeada nesse caso!), agora tá fácil! É claro que as 30 coisas foram escritas com base na minha vida e no meu jeito de levar e ver as coisas, mas você pode personalizar, acrescentar ou tirar alguns itens, colocar o número conforme a idade festejada, etc.

Depois é só fazer uma arte legal, imprimir numa gráfica em papel mais grosso e fazer um rolinho ou algo que te ajude a ‘acoplar’ em algum doce ou objeto… Eu usei uma caixinha, que dentro tinha pão de mel, e amarrei com fita de cetim! Ficou super fofo.

Ainda mandei fazer uma ‘etiqueta’ escrito “Bia 30 anos” e grudei em cada doce… Uma forma de colocar mais carinho em algo singelo.

https://3.bp.blogspot.com/-2G83BQew63k/VbTtUNhK3FI/AAAAAAAAKv0/-5xFj1DV2tU/s1600/Aromatizador%2B50ml.jpg

Mas você pode escolher outro doce, outra embalagem ou ainda usar essa mensagem de outras formas! Já pensou nela impressa no papel e enrolada também, só que amarrada num botão de rosa? Ou impressa como um imã de geladeira? E não precisa ser só para o aniversário da mamãe, mas para o do filhote, num batizado, no aniversário de casamento, num chá de bebê ou de cozinha… É só adaptar! Tem muita coisa legal pra pensar e fazer!!!

Na minha festa, pra quem ainda não viu, o efeito foi esse…

E pra quem quiser conferir todos os detalhes da festa, o link está aqui!

Espero ter ajudado muitas mamães a tornarem a comemoração ainda mais linda!!!

Beijos e feliz aniversário!


20 loucuras que só mães pensam!

Mães são neuróticas por natureza. E é cada loucura que a gente pensa não é? Se você já se achou meio doidinha pensando algo parecido com “vou sumir” ou “nunca mais vou no banheiro sozinha”, esse texto é pra você!!!! Listei as principais loucuras que passam na nossa cabeça… Principalmente em dias de cansaço…rs. Recomendo que leia até o final, porque as mais interessantes estão lá =)

loucuras que só mães pensam

1 – “Nunca mais vou dormir”

Fato. Então nem deveria estar na lista das “loucuras” né? O parto é quase uma sentença de “morte” do sono. E a adolescência, dizem, consegue deixar as madrugadas ainda mais tensas! Mas a gente volta a dormir um dia sim – só não no mesmo horário, com a mesma facilidade, numa cama só sua e do marido, e com o botão de “alerta” do seu cérebro (ou do celular!) desligado… Loucura real, mas loucura.

2 – “Nunca vou sair de casa de novo…”

Dá muuuuito trabalho. Quando o bebê é recém-nascido, a gente não sai por medo de bichinhos mil. Até os 3 ou 4 meses ainda tem a cólica e muito choro. Até 1 ano, papinhas, tralhas pra levar, e seu cansaço, claro. Depois disso, a criança anda!!!!! E, alguém já viu um pré-adolescente na mesa do restaurante? Parece não ter mais graça passear com papai e mamãe…

3 – “Não aguento mais!”

Nenhum outro ser humano no seu lugar aguentaria, mas – acredite – você aguenta mais. Muito mais.

4 – “Devo estar fazendo alguma coisa errada”

Eu sei, bebês choram muito e, muitas vezes, fica quase impossível acalmá-los. Mas não significa que esteja errando pique tenha errado. O instinto materno é maravilhoso, e ele joga do nosso lado. Os pequenos choram por fome, cólica, frio, refluxo, calor, necessidade de aconchego, e porque essa é a forma que encontram de se expressar! Então, é só tentar entender a mensagem… Se procura descobrir e suprir a necessidade do baby, não, você não está errando! Garanto que todas as vezes que pensou que estava, já tinha procurado todas as razões (e soluções), oferecido tudo (e mais um pouco)… Para filho mais velho, funciona quase igual: quando você se pergunta se está errando na educação, por exemplo, geralmente é porque se empenha muito nela! Talvez tudo seja só uma questão de tempo, inclusive pra perceber os resultados…

5 – “Mãe sempre tem razão”

Contraditório? Mas acontece assim: quando pensamos que erramos geralmente já tentamos de tudo, só que quando passa pela cabeça que temos total razão, podemos não estar querendo enxergar outra perspectiva, admitir falhas… Aí é que mora o perigo.

6 – “Não devo ter leite”

Louco pensar nisso sem nenhum motivo a mais do que o choro do bebê. Ele vai chorar e nem sempre de fome!!! Procurar ajuda de uma consultora de amamentação e de um bom pediatra (que seja a favor desse vínculo exclusivo) pode ajudar a descobrir se realmente a produção precisa melhorar. Sem avaliar todos os fatores envolvidos (pega correta da aréola, ganho de peso do bebê, etc), é precipitado tirar qualquer conclusão. E, percebam a frase ali atrás: com apoio de profissionais (e hábitos saudáveis), a produção pode melhorar! Ou seja, você até pode não “ter” leite suficiente agora, mas pode produzir rapidamente.

7 – “Vou começar a cobrar uma taxa por cada palpite que receber”

Essa é a que mais faz sentido! Mas, deixando de lado o ouvido cansado (e o saco cheio!) , vamos trazer pra razão: seria mal educado…não? Mas que seria hilário seria; imagina um cofrinho na entrada de casa escrito: “a cada palpite que der, deposite 10 reais!”. Melhor ainda: 100!!!

8 – “Não vale a pena fazer o que elas dizem”

Isso a gente pensa principalmente quando escutamos conselhos das nossas mães, sogras e avós. Ok, elas podem exagerar na dose dos “achismos”, do “na minha época era assim”, do “criei 3 filhos e tá tudo vivo”, mas elas passaram por tudo que nós estamos passando! Podem ter perdido um pouco a prática, mas podem sim ajudar. Vale a reflexão pra cada caso…

9 – “Quando achei que fosse melhorar, piorou!”

Raciocínio quase lógico no decorrer dos meses, anos… O que a gente precisa lembrar é que a maternidade

nos dá um dom: esquecer os perrengues! Então, fica realmente complicado comparar fases… Cada uma com sua dificuldade, sua graça! É essa coisa de achar que vai melhorar, bem, é esperança de mãe mesmo.

10 – “Não posso nem falar em voz alta, se não…”

Já te aconteceu de a criança começar a dormir a noite toda e, bem no dia que você conta pra alguém, ela voltar a acordar? Pois é! Só que essa é só mais uma dessas peças que a vida materna prega numa mãe. Só isso. Falar ou não falar tanto faz. Nada garante nada…kkkk. Agora, estamos falando de pessimismo de mãe.

11 – “O dia que for pra escola, vou ter tempo pra mim”

Se não for loucura, é inocência. Ou otimismo demais para uma mulher com filhos! Porque, meu bem, quem é que desliga o “modo mãe” da pessoa? A cria tá lá na escola, toda alegre e bem cuidada, e você tá aí fazendo comida pra congelar, indo no supermercado, colocando a roupa na máquina de lavar, guardando brinquedo, pesquisando preço de escrivaninha…

12 – “Meu filho não faz isso”

Tá, pode não fazer na sua frente. Ou nunca ter feito…ainda. Mas vai que…né? A gente pensa isso num primeiro momento, e até num segundo… Mas não custa verificar a possibilidade de… Vai que foi ele mesmo que mordeu? Que falou? Que começou? A vida é cheia de surpresas, imagine a vida materna… Ah, e não podemos esquecer que não é porque o primeiro não faz que o segundo não vai fazer. Só avisando. Isso vale para birras, “artes”, palavrões, e etc.

13 – “Não sei como fazer ele parar”

Ah, você sabe!!!! Tente, invente, faça diferente… Mas jogar a responsabilidade para o universo seria loucura hein?

14 – “Não tenho tempo pra mais nada!”

Depois de ter filho, a gente não tem tempo de sobra. Mas a gente arranja tempo pra taaaantas tarefas… E, por mais difícil que possa parecer, é possível se organizar melhor, pedir ajuda, priorizar, delegar – e encontrar tempo pra mais alguma coisa…certo? Até porque é senso comum: se quiser pedir favor a alguém, peça pra quem for ocupado, porque essa pessoa vai dar um jeito de ajudar. Quer alguém mais ocupado que uma mulher com filho? Anota aí: assim como no coração, em agenda de mãe sempre cabe mais um!!!

15 – “Não consigo”

Quase a mesma lógica. A gente fica meio insana mesmo de tanta coisa que têm pra dar conta, e sai falando que não consegue…fazer exercício, se cuidar, se alimentar melhor, se arrumar, ir ao banheiro sozinha… Vale dar uma de doida de verdade e virar a mesa!!! A gente consegue!!!! Força de vontade, foco, fé e um pouco de ajuda…kkkk. No caso de necessidades fisiológicas básicas, por exemplo, peça um vale-banheiro para o marido – pelo menos de vez em quando!!!!!!!

16 – “Só EU acho as coisas nessa casa?”

Loucura com razão de existir. Mas talvez porque só a gente guarde, preste atenção, controle tudo e mais um pouco… Quem nunca?

17 – “Desisto” (possivelmente substituído por “Vou sumir!”)

Você nunca vai desistir, muito menos sumir pelo mundo. Em caso de dúvida, volte ao tópico 3.

18 – “Minha mãe estava certa”

Essa é boa! Porque é real!!! A loucura está no simples fato de admitir isso um dia! OBS: ela estar certa é diferente de ter razão sempre. O duro é que a mãe costuma estar certa onde você, como filha, não queria que ela estivesse…

19 – “Como consegui viver tanto tempo sem ele/ela?

Óiiiiinnnnn, é tanto amor né?! Só que é simples explicar. Você conseguiu viver porque não sabia como era ter ele/ela na sua vida! E foi bom enquanto durou.

20 – “Por que fui ter filhos???”

Quem nunca pensou essa? Numa madrugada de cólicas? Num dia caótico de manha? Num ano todo sem dormir? Num segundo de desespero? A resposta? …porque é a melhor loucura desse universo!!!!!!!!!!!


10 contradições da maternidade

Uma vez mãe, normal ficar cheia de sentimentos conflitantes, pode saber. Normal uma hora estar feliz da vida admirando detalhes do bebê mais lindo do mundo, e no minuto seguinte se sentir péssima de ouvir tanto choro desse mesmo bebê. Normal dizer que seu filho nunca vai comer vendo TV, e permitir isso tão logo seja possível. Normal querer tomar banho sozinha, mas ficar curiosa pra saber o que o papai está fazendo com o pequenino do lado de fora.

contradições da maternidade

Por essas e por outras, resolvi selecionar pra vocês, as TOP 10 contradições da vida materna. Depois me digam se concordam! kkkkkk

  1. Começa logo na gravidez: você quer e precisa dormir, mas a barriga geralmente não deixa!
  2. Também na gestação, reclamar dos enjôos e, quando eles passam, achar ruim que não para de comer!!!
  3. Nos primeiros meses, aqueles em que o bebê te rouba o coração, você deveria só curtir aquele momento não e? Ficar olhando cada detalhe, dormir quando o bebê dorme, etc. Mas as cólicas, as injustas, te tiram esse direito. E você vive tão cansada que não vê a hora que tudo passe!
  4. …E assim surge a maior das contradições maternas: a gente quer que eles cresçam logo pra ver comer papinha, dormir a noite toda, engatinhar, andar, falar. Mas morre de saudades dos “dias de ontem” quando isso de fato acontece!
  5. Estar morta de sono mas ter a vontade de ficar olhando o bebê dormindo – ao invés de fechar os próprios olhos.
  6. Ainda em relação ao sono… Quando o filhote não dorme, você não gosta! Quando o pequeno dorme mais de cinco horas seguidas, vai lá dar uma olhada pra ver se ta vivo!
  7. Reclamar que a criança só reclama de fazer as coisas que a gente pede, mas viver reclamando também! E do que a gente reclama? De cuidar da casa, ter que dar conta de tudo, ter que falar a todo o instante o que a criança tem que fazer…
  8. Dizer que nunca vai fazer tal coisa, e depois de se tornar mãe, simplesmente fazer!!! Cuspir pra cima é com a gente mesmo…
  9. Julgar a maternidade alheia, mesmo que sem querer. E detestar que julguem a nossa!
  10. Achar chato ter que se desdobrar pra dar atenção pra filhos e marido, mas, quando ele chega do trabalho, disputar a atenção dele com as crianças!!!